Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Geral

Vinte e três missionários foram assassinados no mundo inteiro durante o ano de 2017

Vinte e três missionários foram assassinados no mundo inteiro durante o ano de 2017

Vinte e três missionários foram assassinados em 2017: é o que afirma o relatório anual de fim de ano publicado pela agência Fides, da Congregação para a Evangelização dos Povos. Segundo a divisão continental, pelo oitavo ano consecutivo, o número mais elevado se registra na América, onde foram mortos 11 agentes pastorais (8 sacerdotes, 1 religiosos e 2 leigos), seguido pela África, onde foram mortos 10 agentes pastorais (4 sacerdotes, 1 religiosa e 5 leigos); na Ásia foram assassinados 2 agentes pastorais (1 sacerdote e 1 leigo). Segundo dados coletados pela agência missionária, de 2000 a 2016 foram mortos no mundo 424 agentes pastorais, dos quais cinco bispos. Agentes pastorais mortos de modo violento Já de há  muito, o elenco anual da Fides não diz respeito somente aos missionários ad gentes(além-fronteiras), mas busca registrar todos os agentes pastorais mortos de modo violento, não expressamente “por ódio à fé”. Por isso se prefere não usar o termo “mártires”, a não ser em seu significado etimológico de “testemunhas”, para não entrar no mérito do juízo que a Igreja poderá eventualmente dar sobre alguns deles, e que procuramos em todo caso documentar nesse mesmo contexto anual. Mortos em contextos onde falta respeito pela vida e todo e qualquer direito humano Muitos agentes pastorais foram mortos durante tentativas de assalto ou furto, perpetradas inclusive com ferocidade, em contextos de pobreza econômica e cultural, de degradação moral e ambiental, onde a violência e vilipêndio assumem  forma de comportamento, na ausência total de respeito pela vida e por todo e qualquer direito humano. Em todas as latitudes sacerdotes, religiosas e leigos partilham com o povo a mesma vida diária, levando o valor específico de seu testemunho evangélico como sinal de esperança. Muitos agentes pastorais são vítimas de violência por causa da fé Os assassinados são a ponta do iceberg, vez que é longo o elenco de agentes pastorais, ou de simples católicos, agredidos, espezinhados, ameaçados, bem como de estruturas católicas a serviço de toda a população assaltadas, vandalizadas ou saqueadas. Deve-se, além disso, acrescentar a longa lista de muitos, dos quais jamais se terá notícia ou dos quais jamais se conhecerão os nomes, que em todos os cantos do planeta sofrem e pagam com a vida sua fé em Jesus Cristo. Raramente os assassinos de padres ou religiosas são identificados ou condenados O relatório destaca a condenação do mandante do assassinato do missionário jesuíta espanhol Vicente Canas, morto no Brasil em 1987. No primeiro processo, realizado –quase vinte anos depois – em 2006, os imputados foram absolvidos por falta de provas; o novo processo, de 29 e 30 de novembro, levou à condenação do mandante, único sobrevivente dos imputados. (Agência Fides, Vatican News)
Lançada a 14ª Romaria da Terra e da Água do Piauí

Lançada a 14ª Romaria da Terra e da Água do Piauí

O Regional Nordeste IV da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizou na manhã de terça-feira, 24 de outubro, o lançamento da 14ª Romaria da Terra e da Água do Piauí. O evento aconteceu, às 09h, no auditório do Centro Pastoral Paulo VI, localizado na Av. Frei Serafim, no centro de Teresina. A cerimônia iniciou com um momento de mística trazendo presente as realidades das dioceses do Piauí. Seguindo a programação, Dom Juarez Sousa, bispo de Parnaíba se reportou sobre as diferentes demandas sociais do atual momento vivido pela sociedade brasileira, em particular pelo povo nordestino que ao longo dos últimos anos tem enfrentado as consequências de uma longa estiagem. Dom Plínio, bispo de Picos, apresentou as peças de divulgação da Romaria (Cartaz, Cartilha, Folder, Banner e Aplicativo). Na ocasião ressaltou a contribuição que o material propiciará à as comunidades, o aprofundamento do saber acerca da Romaria e dos benefícios que produzirá para a sociedade piauiense, e em particular para as comunidades, especialmente aquelas que são atingidas pelos grandes projetos econômicos existentes no estado. Dom Plínio ainda agradeceu as autoridades, instituições, dioceses, imprensa e a todos que estão dispostos a abraçar a romaria e as causas que ela defende. Estiveram presentes na cerimônia, bispos, padres, religiosas, representantes das pastorais e movimentos, representantes do poder público, além de membros da sociedade civil e outras entidades que lutam pela preservação de direitos humanos. Com o tema “Defender a natureza e os direitos dos pobres” e lema “Para que todos tenham vida” (Jo 10, 10), a 14ª Romaria da Terra e da Água do Piauí acontecerá nos dias 14 e 15 de julho de 2018 e terá como sede a cidade de Paulistana na Diocese de Picos – PI. A iniciativa tem por objetivo evidenciar o clamor do povo por vida digna e lutar pela preservação da terra e da água como dons de Deus, essenciais à vida de todos. A Romaria da Terra e da Água é uma realização da CNBB com apoio das Pastorais Sociais. A cidade Paulistana, situada no sudeste piauiense foi escolhida para sedia a romaria de 2018 por ser uma região afetada pela implantação de grandes projetos que afetam o meio ambiente e as famílias piauienses. dp15.com/ Cultura FM